50% (50/50) – Crítica


Câncer é sempre um assunto muito delicado ao se debater no cinema, mas 50% consegue nos trazer um belo filme, baseado na vida do roterista Will Reiser. 50% fará você rir de situações as quais foi ensinado a chorar.

O filme é meio 50% comédia, 50% drama, e definitivamente surgiu pra ser, desde já, uma referência de como trabalhar com comédia e drama dentro de um assunto tão terrível e difícil como o Câncer. Levemente o filme nos traz Adam (Joseph Gordon-Levitt) um rapaz de 27 anos que não fuma, não bebe, e vive uma vida normal e em um dia qualquer é diagnosticado com um Câncer raro na coluna, tendo 50% de chances de sobrevivência. Como nossa vida é incerta, não? Seth Rogen interpreta aqui seu melhor amigo, e é a companhia de todas as horas. É extremamente o oposto de Adam e faz o estilo politicamente incorreto. E a direção está por conta de Jonathan Levine.

Adam não se desespera ao saber da notícia, já que se sentia completamente normal. Ao contrário da mãe (Anjelica Huston) que sente a necessidade de transbordar proteção. De forma extremamente cativante e gostosa, acompanhamos essa jornada e essa visão inusitada sobre a doença e o modo como lidar com ela. É justamente neste ponto que Levine traz a tona o grande diferencial do filme. Adam está ali como um “novato” e inexperiente com relação a doença como qualquer um que já passou pela mesma situação. Ele aceita sua posição de doente, vai às quimioterapias, consultas terapêuticas, raspa a cabeça, agindo de forma fria, até, ao mesmo tempo em que seu silêncio demonstra preocupação. E nessa nova vida e rotina, seus olhos passam a perceber o quanto a sociedade é desesperançosa e impaciente. Ele agora está vendo a doença e seus desafios de perto. Pessoas do trabalho já estão lhe dando adeus, dizendo que irá sentir muita sua falta, outros lhe sugerindo um último desejo, enfim…a sociedade sempre viu o doente como um inválido, e uma doença perigosa como um caso perdido.

Os personagens foram bem trabalhados, tendo a mãe que tem um esposo que sofre de Alzheimer que não mede esforços para proteger o filho. A namorada que tenta segurar a pressão de viver com uma pessoa doente. A terapeuta Katherine (Anna Kendrick), inexperiente, mas que abraça totalmente a causa de Adam atendendo-o mais como Amiga/Paciente, o que acaba a tornando a fuga de Adam. E resta o Kyle, o mais engraçado do filme com seu humor negro, o amigo de todas as horas que quer fazer o amigo aproveitar os últimos tempos que ainda lhe resta, lhe apresenta mulheres e usa sua doença pra marcar encontros.

As atuações também ganham destaque, Joseph Gordon-Levitt consegue interpretar com perfeição o que seu personagem sente nos trazendo um personagem frio, triste e esperançoso, recebendo uma indicação ao Globo de Ouro na categoria “Melhor Ator em Musical ou Comédia” e nos provando ser um dos melhores atores dessa nova geração, e Seth Rogen fez o que faz de melhor, fazer rir.

Depois de se emocionar e rir tanto, o final pouco importa. Morrer ou não, não fará o filme perder o brilho ou ser menos emocionante, afinal, se o personagem partir desta para melhor, deixou uma grande mensagem lá atrás e nos mostrou que estar doente não significa estar inválido ou perdido, nos mostrando que a vida é incerta, e que se deixarmos de rir ou aproveitá-la ela pode ser insuportável.

Nota: 8,5

Anúncios

Sobre Guilherme Awesome Dude

Fanático por games, filmes séries e pelo Palmeiras, além de um bebedor de cerveja que não recusa um convite para se divertir com os amigos, desde que o líquido esteja gelado.

Publicado em 28 de junho de 2012, em Filmes e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 7 Comentários.

  1. LOUCA pra ver esse filme!
    Pena que eu tenho sérias dificuldades em baixar filmes online =/
    Beijos, Ana

  2. Esse filme parece realmente bom!

  3. Escreveu bem demais! O filme é ótimo… Lembro de ter alugado só porque vi o nome do Seth Rogen e do Joseph Gordon. A descrição do filme atrás do DVD era uma bosta!

    Concordo que ele seja um ótimo ator… E estou ansioso pelo terceiro Batman! =)

  4. Ótimo filme e ótimas palavras sobre o filme! O Seth Rogen é demais, de todos os filmes e series que eu ja vi com ele, não tem um que eu não tenha gostado!

    Adorei o blog, voltarei mais vezes, abraço!!

  5. Amei de verdade esse filme. Achei tudo interessante, verdadeiro e com uma “alma” verdadeira. Joseph está muitooo bem e Seth não teria como não ser perfeito pro papel, já que ele é amigo de Will Reiser e passou de verdade por esse momento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: