Sete Psicopatas e Um Shih Tzu (Seven Psychopaths) – Crítica


Sete Psicopatas e Um Shih Tzu (Seven Psychopaths)

Após quatro anos estrear o ótimo “Na Mira do Chefe”, Martin McDonagh retorna pela segunda vez no papel de diretor e roteirista, agora no filme Sete Psicopatas e Um Shih Tzu.

Em Na Mira do Chefe, Martin McDonagh vai do humor negro à tragédia com a naturalidade que poucos profissionais do ramo já alcançaram. Em suas mãos, Colin Farrell se tornou bastante engraçado. A indicação ao Oscar de melhor roteiro original não poderia ter sido mais merecida.  Com características semelhantes, inclusive repetindo a parceria com Farrell, McDonagh nos faz rir novamente, agora com seu humor agora mais escrachado, politicamente incorreto, metalinguístico, mas menos eficiente.

Ao dizer menos eficiente, eu não me quis me referir como ruim, ao contrário, o filme é bem engraçado, com diálogos afiadíssimos e com certo grau de insanidade. O que quis me referir é que quando comparamos com Na Mira do Chefe, o filme meio que deixa a desejar.

O filme nos traz Marty (Colin Farrell), um roteirista de Hollywood sem inspiração. Enquanto sofre para criar um roteiro, de título “Sete Psicopatas”, seu amigo Billy (Sam Rockwell) faz o possível para ajudá-lo. O problema é que Billy e um amigo seu, Hans (Christopher Walken), são sequestradores de cães, em busca de dinheiro fácil, e após sequestrar um cão da raça Shih Tzu de nome Bonny, a confusão começa, já que desperta a fúria de seu dono Charlie (Woody Harrelson), um mafioso que inicia uma verdadeira caçada em busca de seu adorável cão. Enquanto trabalha em sua história, Marty agora passa a fugir e ajudar seus amigos a escaparem com vida da fúria do criminoso. Sete Psicopatas e um Shih Tzu (Seven Psychopaths) - Colin Farrell, Sam Rockwell e Christopher Walken

Conforme a história avança, Marty utiliza os eventos da própria aventura para criar seu roteiro. Em certa altura do filme é como se ele escrevesse exatamente a história que estamos assistindo.

É interessante que essa metalinguagem adiciona muito à trama. Conforme os personagens trocam relatos, temos flashbacks e cenas de sonho e imaginação, que contribuem largamente para o andamento da trama.

O ponto negativo em Sete Psicopatas e um Shih Tzu  é que o filme não consegue manter o ritmo, depois de sermos apresentados aos 7 psicopatas, a trama parece perder um pouco de sua graça, mesmo que sua cena mais engraçada iria a vir depois disso.

O ponto positivo é mesmo os diálogos, McDonagh realmente possui uma capacidade absurda neste sentido. Os personagens disparam falas inspiradas e inteligentes do início ao final de produção, desde tiradas curtas (“Ela está em um lugar cinzento.”/“Inglaterra?”) até conversas ridiculamente absurdas.

As atuações também são um ponto forte do filme, Sam Rockwell se destaca, sendo para mim um dos atores mais subestimados de Hollywood, Christopher Walken e Woody Harrelson também estão muito bem em seus papeis.

O personagem de Harrelson é bem engraçado porque é um matador mafioso é cruel, mas se derrete de amores por seu cãozinho, e sabemos quanto o ator sempre fica bem no papel de um louco descontrolado.

Sete Psicopatas e Um Shih Tzu (Seven Psychopaths) - Woody Harrelson

Completam o elenco: Abbie Cornish, Tom Waits, Olga Kurylenko e Gabourey Sidibe.

Vale ressaltar duas coisas, a primeira é que o filme de certa forma é violento, e a outra é uma cena de um fictício tiroteio travado em um cemitério, o qual achei genial, sendo para mim a cena mais inspirada do longa.

No meio de toda loucura Sete Psicopatas e Um Shih Tzu, pode ter os seus defeitos, seus clichês, mas que merece respeito por andar na contramão, por ter uma boa trilha sonora, por fazer um humor sem medo e por ousar. Enfim é um bom filme, que diverte e entretém. Mas que não deve ser levado tão a sério.

Nota: 7.5

Anúncios

Sobre Guilherme Awesome Dude

Fanático por games, filmes séries e pelo Palmeiras, além de um bebedor de cerveja que não recusa um convite para se divertir com os amigos, desde que o líquido esteja gelado.

Publicado em 18 de janeiro de 2013, em Filmes e marcado como , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Sam Rockwell realmente é subestimado. É o nome do filme. E o McDonagh mostrando que não é diretor de um filme só.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: