O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook) – Crítica


O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)

Um filme que consegue ser drama, trama e comédia romântica, tudo ao mesmo tempo de uma maneira exemplar. Essa cinematografia mostra que a vida nem sempre segue os nossos planos e que de vez em quando, necessitamos tirar força sabe-se lá de onde para virar o jogo que chamamos de “vida”.

Quando o professor Pat Solitano (Bradley Cooper) descobre da pior maneira possível que sua mulher tinha um amante, chegando mais cedo em casa e achando a sua esposa com um outro professor aonde leciona, ele surta e depois de bater no amante até quase a morte, Pat acaba em um manicômio.

Após alguns meses retido em uma instituição psicológica, Pat esta determinado a reconquistar a sua mulher, que impôs uma ordem de restrição, o que impede Pat de ir vê-la. Ele acaba insistindo a amigos em comum para que exista uma comunicação entre eles, mas sem resposta dela. Nesse processo, ele acaba conhecendo Tiffany (Jennifer Lawrence), uma garota com problemas emocionais, causados pela morte de seu marido. Os dois acabam criando uma amizade bem incomum.

O Lado Bom da Vida

Apesar de sair do manicômio Pat toma remédios para controlar o seu lado explosivo e tem que comparecer a consultas psicológicas. Tiffany assim como Solitano ingere medicamentos. Uma das cenas mais engraçadas do filme é um jantar na casa de um amigo de Pat, aonde ele acaba conhecendo Tiffany, e durante a refeição eles acabam conversando sobre remédios que tomam e que tomavam e seus efeitos colaterais.

Pat não é bem visto pelos conhecidos, como funcionários aonde ele lecionava, amigos e até mesmo os parentes o olhavam com um ar de desconfiança. O que mostra isso é quando Pat volta para a casa de seus pais e vê o retrato de seu irmão na entrada, entretanto o seu retrato não estava pendurado.

Filme indicado a oito estatuetas do Oscar (melhor filme, ator, atriz, diretor, roteiro adaptado, edição, ator e atriz coadjuvantes) tem o roteiro adaptado do livro de Mathew Quick pelo grande diretor David O. Russell.

O que se destaca no filme são as performances de Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, favorita ao Oscar, Robert De Niro, que vive o pai de Pat, o qual acredita muito em superstições e aposta em jogos de futebol americano, Chris Tucker (Danny), internado  no mesmo manicômio que Pat, acaba virando seu amigo, as participações de Chris no filme são hilárias, e o roteiro adaptado, que me fez rir muito mais do que eu poderia esperar nesse filme, com piadas inteligentes e bem posicionadas. Robert volta a ser indicado ao Oscar depois de quase 20 anos.

O Lado Bom da Vida

Vale ressaltar também os atores Jacki Weaver (Dolores Solitano, mãe de Pat), Anupam Kher (Dr. Cliff Patel, psicologo de Pat que participou de uma maneira interessantemente engraçada no filme), John Ortiz (Ronnie, amigo de Pat que é o responsável por o apresentar a Tiffany).

O único ponto negativo do filme e que é possível prever o final. Tirando isso, o filme, que foi para mim, a grande surpresa do ano, chega com tudo para o Oscar. E nessa briga de gigantes, quem sabe não sobra uma ou duas estatuetas para “O Lado Bom da Vida”.

NOTA: 9,0

AWESOME

Anúncios

Publicado em 15 de fevereiro de 2013, em Filmes e marcado como , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Gostei muito desse filme… vale a pena conferir… embora não seja um filmaço rsrs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: